Catarata

A catarata é definida como qualquer opacificação do cristalino que atrapalhe a entrada de luz nos olhos, acarretando diminuição da visão. As alterações podem levar desde pequenas distorções visuais até a cegueira.

Catarata mais frequente
- Catarata senil (85% das cataratas diagnosticadas);
- Maior incidência a partir dos 50 anos de idade;
- Doença ocular que mais provoca cegueira reversível no mundo;
- Considerada como um processo normal do envelhecimento.

Outras causas de catarata
- Causas oculares – uveíte – traumas – glaucoma – retina;
- Causas sistêmicas – diabetes – lúpus e outras;
- Causas tóxicas –  corticóide colírio ou sistêmico, cobre, ferro e colírios mióticos;
- Causas actínicas – raio x – infravermelho – choques elétricos – outros;
- Catarata congênita – rara, presente ao nascimento, considerada uma urgência médica.


 SINTOMAS MAIS FREQUENTES
- Visão borrada e pouco nítida para longe e para perto;
- Dificuldade em atravessar a rua em dia de sol forte;
- Cansaço ao dirigir, principalmente ao entardecer, à noite e em dias chuvosos;
- Distorção das imagens, vendo objetos mais curvos, as vezes com visão duplicada da imagem;
- Dificuldade em diferenciar cores próximas, por exemplo, diferenciar o preto do cinza grafite principalmente em ambientes com pouca luz;
- Dificuldade tarefas visuais mais próximas, como ler e costurar, começam a ficar mais cansativas; 
- A catarata geralmente é bilateral, podendo ser mais acentuada em um olho do que no outro;
- Por esse motivo alertamos para realização de consultas anuais, para detectar a doença desde seu início.


TRATAMENTO
O tratamento é cirúrgico, é o tratamento efetivo e atual da catarata, com grande grau de sucesso na grande maioria dos casos. É uma das cirurgias mais realizadas no mundo todo.


QUANDO OPERAR?
Toda alteração visual, provocada pela catarata, que comprometa a qualidade de vida equivale a indicação cirúrgica.
Atualmente existem exames específicos que demonstram que, ao contrário do que se pensava, não se deve realizar a cirurgia somente quando a catarata é considerada “madura”. Neste estágio da doença, o paciente já correu maiores riscos de sofrer acidentes automobilísticos, domésticos ou no próprio ambiente de trabalho e o trauma cirúrgico nesta fase também é maior.
 

CIRURGIA DE CATARATA - PREMIUM

- Cirurgia da catarata com laser de femtosegundo.

Na busca do objetivo de oferecer ao paciente a melhor visão pós-operatória sem uso de correção com óculos, ou com o menor tempo de uso deste, usamos a tecnologia do laser de femtosegundo, que se iniciou ao redor de 2013.


 APLICAÇÃO DO LASER
Gotas de anestésico são aplicadas no olho a ser operado, e com a pupila bem dilatada previamente, coloca-se o paciente no aparelho de laser.
Encostamos suavemente o aparelho de laser femtosegundo no olho a ser operado, e o aparelho fixa o olho com uma leve pressão.  
O laser faz um escaneamento de todo formato do olho, e após realiza-se a aplicação do laser e retira-se o aparelho de laser e o afastador de pálpebras.
Para realizar o laser precisamos de uma leve colaboração do paciente, olhando para uma luz que solicitamos.


VANTAGENS DO LASER DE FEMTOSEGUNDO
- Grande reprodutibilidade e precisão nestas importantes etapas da cirurgia;
- Abertura do olho sem bisturi;
- Abre parte da cápsula anterior do saco cristaliniano onde a catarata se encontra;
- Divide a catarata em fragmentos;
- A partir deste ponto o cirurgião continua a cirurgia, emulsifica (dissolve) e aspira o cristalino com o aparelho de facoemulsificação, esvazia e limpa o saco capsular e implanta a lente intraocular previamente programada.


CIRURGIA DA CATARATA EXCLUSIVAMENTE COM FACOEMULSIFICADOR
Cirurgia para catarata, também considerada minimamente invasiva.
Todas as fases do procedimento, como abrir os olhos com delicados bisturis, o uso de delicadas pinças e outros instrumentos são realizados pelo cirurgião.
Realizamos a retirada da catarata com um  aparelho chamado – o facoemulsificador, onde  fragmentamos e aspiramos as partículas da catarata, e implantamos  as lentes intraoculares, que farão o papel da lente natural do olho. 
 A anestesia é feita com o uso de colírios anestésicos, na grande maioria dos casos, sempre sob assistência de um anestesista, visando a segurança do paciente e após a cirurgia, você é liberado para ir para casa no mesmo dia.
 
Uma ponteira que parece uma caneta é acoplada ao facoemulficador, e introduzida dentro do olho do paciente, dissolve e aspira a catarata.  


A LENTE INTRAOCULAR 
Como a catarata é o cristalino opacificado, devemos remover e implantar uma lente intraocular para corrigir o grau, Quando implantamos uma lente intraocular, devolvemos a transparência ao olho, e implantamos a lente apropriada para que a visão se torne muito satisfatória.
 
Atualmente existem várias lentes intra oculares com características e desenhos próprios, a grande maioria dobrável, com proteção contra os raios ultra-violetas.  O cirurgião deve ter ao seu alcance, além da lente escolhida previamente com o paciente, outros modelos de lentes, se necessitar alterar a programação cirúrgica, caso seja necessário. Como existem muitas lentes no mercado, o cirurgião, pelos seus conhecimentos técnicos e experiência, após exames pré operatórios minuciosos, e de acordo com as características individuais do olho do paciente, com o estilo de vida e expectativa do paciente frente ao resultado cirúrgico, é prerrogativa do médico, a escolha do modelo e marca da lente intraocular a ser implantada para cada paciente.
 
TIPOS DE LENTES INTRA OCULARES
Lentes Premium (asféricas) que se utilizam na cirurgia da catarata:

Monofocais 
- não tórica: corrigem a visão para longe, dos olhos com hipermetropia ou miopia 
- tórica: corrigem a visão para longe dos olhos com hipermetropia ou miopia, associadas ao astigmatismo corneano se houver.
 
Objetivo final esperado: óculos para leitura e eventualmente óculos para longe para atividades mais exigentes e cansativas. 
 

Focos múltiplos 
- Não tórica: corrigem a visão para longe e perto dos olhos com hipermetropia ou miopia.
 

- Multifocal tórica: corrigem a visão para longe e perto dos olhos com hipermetropia, miopia, associadas ao astigmatismo. 
 
Objetivo final esperado: não usar óculos na grande maioria das atividades diárias. A indicação desta lente depende muito das características oculares, da resposta do organismo do paciente ao procedimento cirúrgico, o tipo de personalidade que cada paciente apresenta, e estilo de vida dos pacientes. O uso eventual de óculos para longe ou atividade prolongada para perto dependerá da personalidade mais exigente do paciente.
 
Alguns sintomas no pós operatório podem ocorrer, a maioria temporários, como: necessidade de maior iluminação para leitura, presença de halos, falta de nitidez, dificuldade a distâncias específicas para focalizar, discreta turvação da visão de longe quando há iluminação no sentido contrário, às vezes é necessário correção com óculos em graduação mínima para atividades que exigem muito esforço visual. Portanto, é importante realizar a cirurgia em ambos os olhos. 
 
 CUIDADOS PÓS OPERATÓRIOS, E ATIVIDADES LIBERADAS APÓS A CIRURGIA 
- Retornar à clínica para avaliação do Dr. Paulo César conforme orientação;
- Pingar os colírios conforme a receita;
- Dormir com o protetor de plástico fornecido por nós por 5 dias;
- Evitar ambientes com aglomeração de pessoas por 5 dias;
- Trabalho sem esforço físico (dirigir, escritório, clínica, atividades básicas em casa, por exemplo) – 3 dias após a cirurgia;
- Caminhadas – 7 dias após a cirurgi;
- Trabalho que exige esforço físico –  30 dias após a cirurgia;
- Exercícios de esforço físico, como peso, esteira, em academia ou ao ar livre- 30 dias após a cirurgia;
- Natação em piscina, mar e sauna, 30 dia após a cirurgia;
- Mulheres: uso de cosméticos ao redor dos olhos, usar somente após uma semana;
- Pintura de cabelo somente 15 dias após a cirurgia;
- Lembre-se que, apesar de ser uma cirurgia minimamente invasiva, os cuidados pós-operatórios são muito importantes para seu restabelecimento visual.
 
 
ESTE SITE TEM CARATER MERAMENTE INFORMATIVO, NÃO SUBSTITUINDO DE FORMA ALGUMA A CONSULTA COM UM OFTALMOLOGISTA. CADA PACIENTE TEM CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS QUE SOMENTE O OFTALMOLGISTA TEM CONDIÇÃO DE AVALIAR E INDICAR A MELHOR SOLUÇÃO PARA CADA CASO. 
 

Ceratocone

O Ceratocone é uma doença que promove distorções no formato da córnea, e produz uma queda na qualidade e quantidade de visão, com piora progressiva da visão do paciente.

Glaucoma

Glaucoma é uma neuropatia óptica progressiva, caracterizada por aumento da escavação do disco óptico (perda de fibra s nervosas) associado a diminuição progressiva da visão. Segunda maior causa de cegueira no mundo, desde que não tratado corretamente.

Laser Miopia Astigmatismo e Hipermetropia

A cirurgia ocular a laser é uma técnica cirúrgica utilizada para correção de miopia, hipermetropia, astigmatismo, através de uma verdadeira escultura realizada na curvatura da córnea.